domingo, 2 de junho de 2019

A polémica vende: o caso da Nike


Na celebração do 30º aniversário do seu slogan "Just doit", em setembro do ano passado, a Nike lançou uma campanha que gerou polémica nas redes sociais. Dela fazem parte vários atletas afroamericanos, como Odell Beckham Jr., Serena Williams e, claro, Colin Kaepernick.

A cara principal desta campanha foi Colin Kaepernick, um jogador de futebol americano que em 2016 protagonizou um episódio que deu muito que falar. Colin, em forma de protesto contra a violência policial sobre a população negra nos Estados Unidos, ajoelhou-se (em vez de o fazer de pé) durante o hino antes de um dos seus jogos. Colin referiu: "Não vou perfilar de pé e mostrar orgulho por uma bandeira e um país que oprimem os negros. Para mim isto é maior do que o futebol e seria egoísta da minha parte olhar para o lado". O gesto de Colin tornou-se um símbolo e vários jogadores protestaram da mesma forma noutros jogos. O Trump também entra na história de Colin e critica o gesto dos jogadores, o que gerou ainda mais manifestações.

Após a campanha, segundo o Record, "são várias as publicações onde se apela à destruição de objetos da marca norte-americana, por não estarem de acordo com a decisão da Nike em apoiar a luta que o jogador iniciou em 2016". As opiniões dividiram-se nas redes sociais, mas o buzz foi criado.




A Nike pronunciou-se: "a justiça social e outros atletas profissionais levantaram mereceu a nossa atenção e ação. (...) Nós abraçamos o papel e a responsabilidade de todos os envolvidos neste jogo de promover mudanças significativas e positivas nas nossas comunidades."

Uns dias após a campanha, como consta no vídeo, as vendas online da marca aumentaram 25%.

Algumas marcas tentam fugir destas polémicas, mas a Nike decide arriscar e agitar as redes sociais. De campanhas como estas, resultam opiniões positivas e (muito) negativas, no entanto, a Nike parece continuar a lucrar com estas provocações ao longo dos anos.

A Nike não cria polémicas, mas faz dinheiro delas!

https://www.record.pt/modalidades/nfl/detalhe/colin-kaepernick-da-cara-a-polemica-nova-campanha-da-nike

1 comentário:

  1. No final das contas a Nike faz uma campanha por condições iguais entre negros e brancos. E acredito que entrou no momento que boa parte da opinião pública estava a favor.

    ResponderEliminar